Tag Archives: banho

Cuidados ao dar banho no seu gatinho

5 set

Bom dia Pessoal!

Como estão nesta segunda-feira linda? Conseguiram descansar um pouco no final de semana?

Bem, já que estávamos falando sobre os cuidados com a beleza dos gatos, hoje a dica vai para o banho deles!  De modo geral não é necessário banhar o gato, visto que eles conseguem se manter limpos. Às vezes, no entanto, um banho é necessário para tratar ou controlar pulgas, limpar um felino aventureiro, tratar um problema dermatológico ou retirar algo perigoso do pelo do gato. Os inexperientes e indecisos devem deixar que um veterinário ou outro profissional qualificado cuide desses banhos obrigatórios. Para quem quiser tentar em casa, eis alguns ensinamentos básicos sobre o banho.

Pré-banho: separe os produtos necessários com antecedência. Você precisa de um bom shampoo para animais de estimação; uma toalha grande e macia; escova e pente; e um chuveirinho ou um recipiente de plástico para molhar e enxaguar o bichano. É melhor pentear o pelo do gato antes do banho, se possível, sobretudo se ele tiver pelos longos. Se você sabe como fazê-lo, é hora de cortar as unhas do gato (observação: você pode proteger os olhos do gato durante o banho com uma pomada oftálmica neutra indicada pelo veterinário).

Prepare o local do banho: use uma pia grande com uma torneira móvel ou a banheira. Encha a pia antes de colocar o gato dentro e veja se a água não está quente ou fria demais. Uma temperatura confortável para as mãos funciona bem para o gato. Você vai se molhar, ficar coberto com espuma de sabão e é provável que um gato irritado e ensaboado pule em você. Por isso, vista roupas adequadas, que possam molhar e protegê-lo de arranhões.

Dicas para antes do banho: dar banho em gatos costuma ser um trabalho para duas pessoas, uma para segurar o animal e outra para banhá-lo, mas você pode tentar sozinho. De qualquer modo, treine as técnicas de contenção do animal em terra firme antes. Com a mão, segure o gato com firmeza, mas cuidadosamente, na nuca, pressionando de leve para baixo. Veja se você consegue alcançar as diversas partes do corpo do gato com a outra mão. Calcule quando e como você terá de mudar de mão para segurar o gato durante o banho. Planeje o banho passo-a-passo antes que o gato entre na pia ou na banheira; caso contrário, ele conseguirá fugir se você hesitar ou ficar confuso.

Hora do Banho: molhe o gato da cabeça até o rabo. Aplique o shampoo do mesmo modo, faça espuma e enxágue bem. É importante enxaguar bem. Os resíduos de sabão podem irritar a pele do gato ou serem engolidos quando o animal lamber o pelo. O enxágüe também elimina pulgas e outros parasitas imobilizados, mas não mortos, pelo banho.

Pós banho: delicadamente, esprema o excesso de água de pelo, enrole-o em uma toalha grande e macia e enxugue-o. Se o gato deixar, você pode desembaraçar o pelo, se necessário. Caso contrário, espere até que ele esteja seco e calmo. Se você tiver sorte, o gato pode tolerar o som e a sensação de um secador de cabelo. No entanto, não conte com isso,muitos gatos ficam aterrorizados com o aparelho. Isso não é algo para descobrirmos depois do banho. Veja como o gato reage ao secador de cabelo em um dia que ele não tomar banho. Se ele ficar morto de medo, use só a toalha. Talvez, aos poucos, você consiga que ele se acostume ao som e à sensação do aparelho.

Aguardem nosso próximo post sobre gatos!

Lambidas e até a próxima

Cuidados com os animais no inverno

6 jul

Bom dia Pet Followers!

Tudo bem com vocês?

Ultimamente temos visto que muitas regiões no Brasil vem sofrendo com o frio intenso. Pensando nisso, resolvemos fazer um post sobre como cuidar de nossos amiguinhos no inverno, pois não são só os humanos que sentem frio, os animais também. Os mais afetados são os de pelagem curta. Algumas raças, como o Husky Siberiano, o Malamute do Alaska e o São Bernardo, possuem características que os fazem mais resistentes ao frio (sub pelo e maior camada de gordura sob a pele). No frio, algumas doenças aparecem com maior frequência. Por isso, devemos preparar nossos animais para atravessarem o inverno.

O cão pode apresentar sinais clínicos que lembram muito o resfriado humano, como tosse, espirros, febre, falta de apetite e coriza. Damos o nome a esse quadro de traqueobronquite ou “tosse dos canis”. Essa doença pode aparecer em qualquer época do ano, porém, há uma maior predisposição nos meses frios pela baixa temperatura. A doença pode ser causada por vírus, bactérias ou fungos e é altamente contagiosa entre os cães através do contato direto entre os animais

Além das doenças respiratórias, os animais idosos com problemas osteoarticulares como artrose, calcificações na coluna ou hérnia de disco, passam a sentir mais dor quando expostos a baixas temperaturas.

Choques de temperatura, como dar banho, secar o cão com secador (em casa ou no pet shop) e sair em seguida com ele na rua, será prejudicial, seja ele jovem ou não.

Aconselhamos tomar os seguintes cuidados no inverno:

– Evite banhos em dias muito frios e diminua a frequência de banhos no inverno (se possível);
– Mantenha a pelagem do animal mais comprida no inverno, evitando tosas muito baixas;
– Coloque roupa no cão de pelagem curta, caso ele se ressinta muito do frio. Existem animais que tremem de frio  exageradamente! Cães grandes e gatos não toleram roupas;
– Se costuma nevar ou gear em sua região, sapatos protegem as patas do cão de queimaduras causadas pelo frio;
Há cães que, embora tenham casinha, preferem dormir ao relento ou ficar na chuva. Prenda esse animal num local abrigado nos dias muito frios ou chuvosos;
– Vacine seu cão anualmente contra a traqueobronquite, se ele frequenta locais com outros animais (pet shops, hotéis para cães, exposições);
– Quando der banho em seu animal, use água morna e seque-o bem. Não deixe que ele saia na rua, no mínimo por 30 minutos após o banho. Isso vale, principalmente, para cães que tomam banho em pet shop, pois o secador é extremamente quente e haverá um choque de temperatura se ele sair no frio;
– Leve seu cão para passear na rua nos horários mais quentes do dia (das 11:00 as 15:00hs);
– Aumente em 20 a 30% o alimento do seu cão/gato no inverno. Isso não vale para cães e gatos obesos, sem atividade ou com grande tendência a ganhar peso.

Muitas dessas dicas também valem para os gatinhos. Todo animal tem direito a um abrigo no inverno. Na natureza, os cães selvagens podem se abrigar em tocas durante o frio. Outras espécies também procuram abrigo.

Providencie uma casinha para seu animal, caso ele viva em um quintal, ou deixe-o preso num local abrigado como garagem, lavanderia, ou mesmo dentro de casa, quando a temperatura estiver muito baixa. Assim, quando você estiver quentinho, embaixo dos cobertores, poderá dormir tranquilo, com a certeza que seu amigão não está passando frio!

Cão Quentinho